Acessar
Leia os Livros I, II e III da nova tradução de Meditações antecipadamente!

Como evitar a ansiedade e aceitar as dificuldades da vida? 

Estoicismo Prático

A ansiedade nos tira do momento presente e nos leva ao futuro, nos colocando em um limbo entre o agora e um possível depois, que traz medo, insegurança e preocupação. A ansiedade pode nos fazer também perder tempo pensando no "e se" de eventos do passado. Em relação ao tempo pregresso, aceitar o que aconteceu é o caminho mais saudável para viver um presente tranquilo. Em relação ao futuro, devemos ter em mente que tudo é mudança, nada do que conhecemos hoje será o mesmo amanhã. Portanto, não há porque relutar contra o inevitável. Assim, o que nós temos em nossas mãos é o presente! 

“O mundo é mudança; a nossa vida, opinião” - Marco Aurélio, Meditações, 4.3

Tudo que temos é o presente e nossa capacidade de lidar com ele! Por isso, os filósofos estoicos propõem que aproveitemos verdadeiramente a forma como as coisas acontecem, sem querer que as situações ocorram de maneira diferente. Viver no instante presente nos deixa centrados no que podemos controlar e reduz as ansiedades e as preocupações em relação ao futuro.

"O presente sozinho não faz nenhum homem infeliz" - Sêneca, Carta 5, Sobre a virtude do Filósofo

Viva o presente e foque no que está sob o seu controle

Quanto do seu dia de hoje você de fato viveu? Quanto passou sem que nem se desse conta? A vida é curta para aqueles que negligenciam o presente. Para viver uma vida boa, é preciso construir o que queremos hoje! Um passo de cada vez, com constância e determinação. O futuro não está sob nosso controle. Viver com base no que pode acontecer em um futuro incerto pode gerar ansiedade e preocupações sobre contextos que podem nem acontecer.

"O maior obstáculo para a vida é a expectativa, que depende do amanhã e do desperdício de hoje" - Sêneca, Sobre  brevidade da vida

Você consegue pensar no que está e no que não está sob seu controle? Para o Estoicismo, identificar essa diferenciação é uma das bases para uma vida mais feliz, com menos ansiedade e mais calma. Agir de acordo com o que está e o que não está sob o nosso poder é o que a filosofia estoica entende por Dicotomia do Controle.

“1. Das coisas existentes, algumas são encargos nossos; outras não. São encargos nossos o juízo, o impulso, o desejo, a repulsa ― em suma: tudo quanto seja ação nossa. Não são encargos nossos o corpo, as posses, a reputação, os cargos públicos ― em suma: tudo quanto não seja ação nossa.
2. Por natureza, as coisas que são encargos nossos são livres, desobstruídas, sem entraves. As que não são encargos nossos são débeis, escravas, obstruídas, de outrem” – Epicteto, O Manual de Epicteto

Nós não temos controle sobre situações externas: nossa reputação, a forma como os outros nos tratam ou reagem a algo que falamos. Nós temos controle apenas sobre nossos pensamentos e crenças. Tão importante quanto reconhecer o que não está no seu poder, é não abrir mão do domínio que possui. Aceitar o que não está sob o seu controle não significa ser passivo. 

"Assim, nenhuma fortuna, nenhuma circunstância externa, pode isolar o sábio da ação. Pois a própria coisa que envolve sua atenção o impede de atender a outras coisas. Ele está pronto para qualquer resultado: se traz bens, ele os controla; se males, ele os conquista. (...) Assim, o sábio desenvolverá a virtude, se puder, no meio da riqueza ou, se não, na pobreza; se possível, no seu próprio país – se não, no exílio; Se possível, como comandante – se não, como um soldado comum; se possível, em boa saúde – se não, enfraquecido. Qualquer que seja a fortuna que se encontre, conseguirá algo digno de nota" - Sêneca, Carta 85, Sobre Silogismos Vazios

As ações dos outros também não estão sob o nosso controle, mas podemos controlar nossa reação a elas, por exemplo. Isso é parte da nossa ação, a resposta a qualquer acontecimento está sob nossa gestão. Não podemos determinar a opinião dos outros sobre nós, mas podemos focar em agir de forma honesta e virtuosa! 

É perfeitamente razoável considerar críticas boas e bem fundamentadas sobre nós mesmos. Aceite-as com gratidão, e faça um bom uso delas. A questão é que você deve parar de se "preocupar" com a opinião de pessoas sábias, mas "respeitá-las". Aceitar críticas não implica que você deva ser uma pessoa sempre preocupada com as opiniões dos outros. Não é sobre estar preocupado, mas sim respeitar e observar todas as opiniões e ideias válidas. Você deve ser uma pessoa virtuosa, que aceita a orientação de indivíduos virtuosos. Você não precisa de validação externa, mas pode considerar críticas para o seu desenvolvimento pessoal. 

O que a filosofia estoica propõe é que nós devemos pensar a todo momento: o que está sob meu controle agora para que eu possa construir uma vida melhor? Não há sentido em relutar contra algo que está fora do seu poder de escolha. Essa relutância só torna você angustiado diante da situação a qual você não quer aceitar. Quando algo acontecer com você, pergunte a si mesmo se você pode ou não fazer alguma coisa a respeito. Se a resposta for não, se for algo que esteja sob o controle do destino, então o que devemos fazer é praticar a aceitação.

"Quando algo acontece, a única coisa que está em seu poder é sua atitude com relação ao fato. Suas alternativas são a aceitação ou o ressentimento" - Epicteto, A arte de viver, nova interpretação de Sharon Lebell

Viver no presente e aceitar o que não está sob o nosso controle não levam a uma vida sem um propósito ou sem objetivos. Muito pelo contrário. Sob o nosso controle estão os nossos esforços, mas o resultado em si foge da nossa gerência. Seja qual for o objetivo que definirmos, não devemos sofrer caso não consigamos atingi-lo. O que cabe a nós é agir de forma a aumentar a chance de alcançar uma determinada meta, atuando sempre de forma virtuosa, seguindo nossos valores. 

Lembre-se de que seu tempo é finito

Se você quer aproveitar melhor sua vida e viver no presente, lembre-se diariamente de que o seu tempo de vida é finito. 

Memento Mori: lembre-se que você vai morrer. Essa é mais uma lição dos estoicos! Essa ideia deve nos levar a pensar na morte exatamente para valorizarmos mais a vida! 

Não sabemos quando vamos morrer, por isso, não devemos desperdiçar o nosso tempo com atividades que não faríamos caso o nosso último dia estivesse perto. Pensar sobre a nossa mortalidade deve nos preencher de gratidão e não de ansiedade. Devemos agradecer todo dia que acordamos, pois temos a chance de interagir com outros seres humanos, podemos nos desenvolver e ajudar os outros a progredirem também. O nosso tempo é o nosso maior recurso e o único não reembolsável. 

“Ninguém define um valor ao tempo; todos usam isso como se não custasse nada. Mas vejam como essas mesmas pessoas agarram os joelhos dos médicos se adoecerem e o perigo da morte se aproximar, vejam como estão dispostas, se ameaçadas pela pena capital, a gastar todas as suas posses para poderem viver!” - Sêneca, Sobre a brevidade da Vida

Ame o destino

A maioria das vezes em que nos sentimos ansiosos ou nervosos é quando nos deparamos com situações imprevisíveis. Contudo, não são as situações que perturbam nosso estado de tranquilidade, são nossos julgamentos e a forma como reagimos aos acontecimentos. 

Quando você não tem expectativas quanto ao destino, você cria uma aceitação que serve como escudo para toda e qualquer decepção. Você pára de esperar que os fatos se desenrolem de uma maneira específica. Você dá as boas-vindas e abraça o destino, seja ele qual for. Ir além da simples aceitação e amar profundamente o destino é o que nos ensina a ideia do Amor Fati

"As circunstâncias não ocorrem para atender às nossas expectativas. Os fatos acontecem como têm que acontecer. As pessoas comportam-se de acordo com o que são. Acolha as coisas que de fato conseguir" - Epicteto, A arte de viver, nova interpretação de Sharon Lebell

Aceite que você é uma pequena parte do todo. Ao perceber isso, você irá parar de se preocupar desnecessariamente. Relutar contra o destino é uma forma de desperdiçar tempo útil de vida. Aceitá-lo, amá-lo e transformar o que acontece da melhor forma possível é a forma de viver uma boa vida, plena e feliz! 

Devemos aceitar que não podemos controlar o nosso destino, portanto tudo que vier a ocorrer é indiferente. Chover ou fazer sol, frio ou calor, não tem nada a ver com a nossa vontade. Portanto, só nos resta aceitar os acontecimentos - e fazer o melhor deles, com tranquilidade.

"A sabedoria, em todas essas formas, requer principalmente a compreensão da diferença entre as coisas boas, ruins e indiferentes. A virtude é boa e o vício é ruim, mas todo o resto é indiferente" - Donald Robertson, Pense como um imperador

Você é uma peça pequena em uma série imutável de coisas que se desenrolam em sequências eternas de causa e efeito. Quanto mais cedo você aceitar essa realidade, de que controla pouco do mundo, melhor saberá lidar com a ansiedade de fracassar ao tentar prever o futuro incerto. Como bônus, você poderá aproveitar melhor o presente e ignorar o passado e a incerteza.

"Devemos saber suportar com espírito forte tudo o que por lei universal nos é dado a enfrentar. É nossa obrigação suportar as condições da vida mortal e não nos perturbarmos com o que não está em nosso poder evitar" - Sêneca, Da felicidade, XV

Aceite as dificuldades

Muitas vezes encaramos dificuldades como se fossem externas a nossa experiência, mas não são. Dificuldades são parte da nossa vivência. O que podemos fazer é optar por não sermos afetados pelas dificuldades, pelos problemas e pelas dores. 

“Em vez de desviar os olhos dos acontecimentos dolorosos da vida, olhe para eles diretamente e contemple-os com frequência” - Epicteto, A arte de viver, nova interpretação de Sharon Lebell

Para os estoicos, a verdadeira felicidade vem de manter a nossa equanimidade, preservando a mente tranquila em todas as situações. As decisões que mais nos afetam são sempre aquelas que tomamos quando estamos estressados, irados ou raivosos. Manter-se ausente dessas emoções negativas é o que permitirá que você saia de situações adversas da melhor forma possível. Na próxima vez que você sentir qualquer tipo de desconforto, lembre-se de exercitar suas virtudes e de manter a sua mente sem perturbações ou oscilações. A melhor forma de manter a calma diante de situações difíceis do dia a dia, como ficar preso em um engarrafamento, é refletir e perceber que o problema não é tão grande quanto você imaginava.

Qualquer evento externo é percebido de diferentes formas por diferentes pessoas. Não é o evento em si que leva ao sofrimento. É o seu julgamento sobre este evento que causa este sofrimento. Sofrer é uma escolha.

O que as dificuldades e os problemas que enfrentamos podem nos ensinar? Devemos enxergar os problemas na vida como sinais de alerta para o que precisamos mudar.  São os problemas que nos fazem perceber que há algo de errado em nossos pensamentos e em nossas ações. Encarar e superar problemas com virtude nos fazem ser pessoas melhores. Em face de qualquer dificuldade, o que mais importa, segundo o Estoicismo, é manter o nosso caráter

“Você, que é capaz, e que entende de onde e para onde vai seu caminho, e que, por essa razão tem uma ideia da distância a percorrer, ajuste seu caráter, desperte sua coragem, e fique firme em face das coisas que o tem aterrorizado" – Sêneca, Carta 29, Sobre evitar ajudar os não interessados

Epicteto foi um filósofo estoico grego que viveu a maior parte de sua vida em Roma como um escravo. Além disso, Epicteto tinha uma deficiência na perna. Nada o impediu, porém, de viver uma vida plena e virtuosa. Epicteto não permitiu que o fato de ter nascido em condições desfavoráveis se tornasse um fator limitante para a sua vida. 

O sofrimento surge quando associamos julgamentos negativos a questões (pessoas ou situações) que estão além do nosso controle. Sempre que estiver preso em um ciclo de pensamentos negativos, lembre-se de colocar as coisas em perspectiva. A única coisa que você pode fazer é decidir como vai perceber os eventos que acontecem. A forma como olhamos para o mundo ao nosso redor, como costumamos interpretar os acontecimentos, faz total diferença na maneira como vivemos nossas vidas. É comum pessoas confundirem seus sentimentos com seus julgamentos a respeito deles. Por outro lado, os julgamentos sobre seus sentimentos estão totalmente sob seu controle. Por isso, está sob seu poder anular o efeito destas emoções negativas na sua vida.

Outra forma de aumentar o nosso sofrimento é acrescentar aos fatos reclamações ou lamentações. Um dos maiores males que podemos cometer contra nós mesmos é nos dar o direito de lamentar pelo que nos acontece. Para a maioria, o ato de lamentar se torna um hábito. Sem ao menos perceber, você começa a achar justificativas para se lamentar de qualquer coisa que venha acontecer — até mesmo das menores e insignificantes.

Quando estamos no meio de uma situação, ela parece ser maior e mais importante do que realmente é. Ao praticarmos o exercício de observar as situações "por cima", notamos o quão passageiro é tudo que acontece conosco, inclusive nossos sofrimentos. Marco Aurélio nos traz um excelente exercício sobre perspectiva ou visão de cima.

“Observe tudo de cima - os milhares de rebanhos e manadas, as cerimônias humanas, a tempestade e a calma, a criação e a extinção. Considere também as vidas que outrora foram vividas por outras pessoas muito antes de você e as vidas que serão vividas depois de você. Considere quantos nunca ouviram seu nome e quantos em breve o esquecerão" - Marco Aurélio, Meditações, 9.28

Então, para evitar a ansiedade ou qualquer perturbação em sua mente, quando estiver sofrendo por qualquer motivo, lembre-se de colocar o momento em perspectiva. Não enxergue dificuldades como obstáculos externos ao caminho. Os obstáculos são parte do caminho. Não julgue acontecimentos externos como bons ou ruins. Perceba que seu sofrimento existe devido ao seus julgamentos, e você não mais irá sofrer desnecessariamente. Lembre-se que no passado você sofreu por acontecimentos que hoje são pouco importantes. Outra forma de você melhorar seu próprio julgamento sobre situações da vida, é praticando o exercício de olhar situações a partir da perspectiva de outras pessoas.

Sempre que algo nos incomoda, devemos pensar: a nossa visão sobre este fato está realmente correta? Cada um pode decidir o peso que os obstáculos possuem na sua vida. 

Transforme obstáculos em oportunidades ao mudar sua perspectiva sobre as situações. A grande maioria das situações são imprevisíveis. O que podemos fazer é preparar nossas mentes até para o inesperado. Essa é a ferramenta que os estoicos criaram para não perderem a serenidade em situações adversas. 

"A fortuna nos ataca quantas vezes atacarmos a Fortuna. É vergonhoso, em vez de seguir em frente, ser levado e, de repente, em meio ao redemoinho dos acontecimentos, perguntar de forma aturdida: 'Como é que eu entrei nessa situação?'" - Sêneca, Carta 37, Sobre a lealdade à virtude

A maneira como o Estoicismo ensina a manter o autocontrole é visualizando e imaginando o pior cenário possível. Essa prática é conhecida como Premeditatio Malorum ou previsão dos males. Exercite sua mente e coloque-se diante de situações difíceis através da sua imaginação. Você perceberá que, com o tempo, vai se tornar uma pessoa mais forte e menos vulnerável aos acontecimentos da vida. Lembre-se da história de Zenão, o fundador do Estoicismo: todo naufrágio é uma oportunidade de chegar a terras novas.

“Nada deve ser inesperado por nós. Nossas mentes devem ser enviadas antecipadamente para atender a todos os problemas, e devemos considerar, não o que costuma acontecer, mas o que pode acontecer"- Sêneca, Carta 91

Para se ter uma vida boa é necessário também ter um bom autoconhecimento e uma boa autopercepção para que nos tornemos conscientes das nossas ansiedades e de como evitá-las. Sempre que observar um pensamento negativo surgindo na sua mente, pare por um momento. Escolha qual a melhor ação para você, se é que algum ato é necessário ou mesmo possível e se essa ação está de fato sob o seu controle. Não aja no piloto automático. Nossa percepção pode se comportar com uma âncora, nos prendendo e nos impedindo de navegar; ou pode ser um vento forte que infle nossas velas e nos faça atravessar o oceano. 

"Cada dificuldade na vida nos oferece uma oportunidade para nos voltarmos para dentro de nós e recorrermos aos nossos recursos interiores escondidos ou mesmo desconhecidos. As provações que suportamos podem e devem nos revelar quais são as nossas forças" - Epicteto, A arte de viver, nova interpretação de Sharon Lebell

Viver uma boa vida depende de nós mesmos! O conhecimento atemporal do Estoicismo pode nos ajudar nesse caminho para a tranquilidade e a felicidade, evitando as preocupações e ansiedades e aceitando as dificuldades como parte da nossa experiência.

"O poder da filosofia de romper os golpes do acaso é inacreditável" - Sêneca, Carta 53, Sobre as falhas do Espírito
Edição por Lina Távora

Artigos Relacionados

VER TODOS

Conteúdo para lhe ajudar a manter a sanidade em meio ao caos

Práticas para o autoconhecimento

Práticas para o autoconhecimento

Olhar para dentro de si mesmo é um passo necessário para desenvolver a nossa autoconsciência. Estar autoconsciente é saber como você costuma agir em determinada situação, é entender os seus padrões automáticos, compreender suas habilidades e qualidades e ter conhecimento a respeito de seus vícios e falhas. É apenas a partir do conhecimento de si mesmo que podemos evoluir e viver uma vida boa!

Estoicismo Prático
Ler Artigo
Estoicismo na vida moderna: Dicas do Ryan Holiday

Estoicismo na vida moderna: Dicas de um fazendeiro

Estoicismo é uma resposta a problemas modernos pois, assim como na antiguidade, as pessoas carregam medos, angústias, vontades e sonhos.

Jean Ramos
Ler Artigo
VER TODOS

Receba uma citação do Estoicismo diariamente em seu email!

Ao preencher seu email abaixo, você receberá uma citação dos filósofos estoicos por dia.
Você receberá no máximo um email por dia. ✅